Se chamava Invidia. Estava sentada em casa, frente à TV, correndo canais. Parou em um que não tinha visto ainda: o Canal Feliz! Era hora do telejornal, apresentado pelo Sr. Sorriso. E veio a primeira notícia:

Fome e miséria são erradicadas na África! Fulano de tal, que fez um projeto, e bla bla blá… enfim, não tem mais fome e miséria lá. Invidia, indiferente, continuou assistindo.

Segunda notícia: Dizia que no Brasil, no estado em que Invidia vive,  a qualidade de vida havia melhorado consideravelmente. Opa! A indiferença foi promovida à pulga atrás da orelha, porque Invidia não sentia essa melhora.

Terceira notícia: A cidade em que Invidia vivia foi eleita um celeiro de talentos. Muitos habitantes que estudaram lá, inclusive no colégio em que Invidia frequentou, haviam se tornado pessoas de extremo sucesso. A pulga que estava atrás da orelha passou para o estômago.

Quarta notícia: Uma entrevista exclusiva com Rebus, um dos empreendedores brasileiros de maior sucesso do Brasil, quiçá, do Mundo. A pulga alojada no estômago começou a revirar, picar, pular, causando um mal estar, uma náusea, um enjoo insuportável. A coisa parece ter ficado pessoal. Estudei com Rebus. Lembro-me de ter ensinado a ele uma questão de matemática uma vez. Como pode ele ter tido tanto sucesso? Aí tem! Deve ser maracutaia. Pisou em alguém pra subir.

Invidia muda o canal, mas o mal estar fica… até parar em um canal que transmitia um programa chamado “Brasil Urgente!” Se a pulga no estômago fosse uma bactéria, o Brasil Urgente era um mar de penicilina. Assalto, violência, miséria, fome, injustiça. Invidia sentia um conforto fora do normal. Um entorpecente para o Ego. Respirou fundo, o mal estar parou, e o ar que saía de sua boca após uma exalação de alívio, era poesia pura.

Uma Ode aos fudidos! Para Invidia, é doloroso demais ver o sucesso de Rebus pois à remete sua própria incompetência na busca de uma vida de sucesso. Era a própria maldição Cruciatus aplicada à ela por um espelho. Em contraponto, toda a desgraça mostrada pelo “Brasil Urgente” era para Invidia um potente anestésico. Afinal, tanta desgraça acabava por lembrá-la de que sua vida medíocre não era tão ruim assim. Tem gente pior… tem gente muito pior!

Anúncios